Duquesa de Alba morre aos 88 anos em Sevilha

Duquesa de Alba morre aos 88 anos em Sevilha

Aristocrata, considerada dona de uma das maiores fortunas da Espanha, tinha o maior número de títulos nobres da Europa

O Estado de S. Paulo

20 Novembro 2014 | 09h24


SEVILHA - A duquesa de Alba, Cayetana Fitz-James Stuart, considerada dona de uma das maiores fortunas da Espanha, morreu nesta quinta-feira, 20, em Sevilha aos 88 anos, informou o prefeito da cidade andaluza, Juan Ignacio Zoido.

"Dona Cayetana sempre levou Sevilha no coração e por isso permanecerá para sempre no coração de Sevilha. Descanse em paz", disse Zoido em sua conta no Twitter.

A popular aristocrata, que ostentava o maior número de títulos de nobreza da Europa (46), foi hospitalizada no domingo com gastroenterite, pneumonia e arritmia cardíaca. A duquesa morreu em casa, no Palácio de Dueñas, ao lado dos filhos e do último marido, Alfonso Díez, além de outros parentes e amigos.

Cayetana era proprietária de grandes plantações de oliveiras, granjas e fazendas, além de um importante patrimônio artístico. Em 1953, com a morte de seu pai, ela se tornou a 18.ª duquesa de Alba e a terceira mulher a ostentar o título em mais de 500 anos de história, além de herdar os demais títulos da família, entre eles, o ducado de Berwick, de origem escocesa.

Como duquesa de Alba, Cayetana era dona de uma importante coleção de arte, que inclui pinturas, esculturas e tapeçarias. Entre as peças de destaque estão quadros de Francisco de Zurbarán, Fra Angelico, Francisco de Goya, Bartolomé Esteban Murillo, El Greco, Paolo Veronese, Antoon van Dyck e Diego Velázquez.

O Instituto Espanhol Reina Sofía, em Nova York, lhe concedeu a Medalha de Ouro 2008, pelo compromisso com a conservação do patrimônio cultural espanhol.

Cayetana de Alba se casou três vezes, a última em 2011. Ela tinha seis filhos, todos do primeiro casamento. /EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.