Durante visita, pontífice exige liberdade de culto

O papa Bento XVI afirmou que a religião não é um problema sobre o qual seja necessário legislar e pediu liberdade de culto "sem perseguições", além de ter voltado a defender a unidade dos cristãos.

EFE, O Estado de S.Paulo

18 de setembro de 2010 | 00h00

Durante encontro com políticos no Westminster Hall, em Londres, o papa ressaltou que a religião "não é um problema" que caberia aos legisladores solucionar, mas um fator que contribui de maneira vital para o debate nacional.

O papa também disse que, pelo bem da civilização, fé e razão têm de ser sempre debatidas em um "diálogo profundo e contínuo".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.