´Durian´ pode ter feito até 700 vítimas, afirma Cruz Vermelha

A passagem do tufão "Durian" pelas Filipinas, que devastou a província de Albay, pode deixar até 700 vítimas, entre mortos e desaparecidos, segundo Richard Gordon, principal responsável da Cruz Vermelha no país.A afirmação foi feita por Gordon após sua visita, neste sábado, às regiões mais atingidas pelo tufão, entre elas a pequena localidade de Padang, que ficou soterrada em uma massa de barro e cinzas nas proximidades do vulcão Mayon.O último número oficial de vítimas do "Durian" era de 303 mortos e 295 desaparecidos.Acredita-se que um total de 598 pessoas tenha morrido durante a passagem do tufão, mas os trabalhos de resgate continuam, com a participação de equipes do Exército e da Polícia Nacional.Sobreviventes da enchente de barro que soterrou Padang - que antes da tragédia possuía 1.400 habitantes - afirmam ter certeza de que muitas pessoas ainda se encontram sob a massa de lodo que cobriu áreas inteiras da localidade.As cinco horas de fúria do "Durian" também provocaram inundações em diversas localidades da província de Albay e em outras vizinhas, além de interromper a provisão de eletricidade e as comunicações por terra."Pouco a pouco a ajuda está chegando às zonas de mais difícil acesso por causa das inundações e deslizamentos de terra", disse o governador de Albay, Fernando Gonzalez.Estima-se que cerca de 800 mil pessoas tenham ficado desabrigadas após a passagem do tufão "Durian", na noite desta quinta-feira, pelas Filipinas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.