Olivier Douliery / AFP
Olivier Douliery / AFP

É muito cedo para falar em retomada de negociações com EUA, diz Taleban

Na quinta, Donald Trump disse que grupo ‘quer um acordo’, durante uma visita surpresa à base de Bagram, perto de Cabul

Redação, O Estado de S.Paulo

29 de novembro de 2019 | 09h20

CABUL - Os taleban advertiram nesta sexta-feira, 29, que é "muito cedo" para afirmar que as negociações diretas com Washington foram retomadas, um dia depois de o presidente americano, Donald Trump, anunciar no Afeganistão o reinício do diálogo. 

"É muito cedo para falar de uma retomada das negociações no momento. Vamos anunciar nossa reação oficial mais tarde", disse o porta-voz dos taleban, Zabihullah Mujahid. 

Trump anunciou na quinta-feira que os taleban "querem um acordo". "Estamos nos reunindo com eles, estamos dizendo a eles que deve haver um cessar-fogo" disse o presidente à imprensa durante uma visita surpresa à base de Bagram, perto de Cabul, para celebrar o Dia de Ação de Graças com as tropas americanas. 

Para Entender

The Economist: Os EUA e a difícil negociação com o Taleban no Afeganistão

Casa Branca não vencerá a guerra apenas com uso da força, mas Trump não pode ter pressa para concluir um acordo

Avanços

A declaração do presidente dos Estados Unidos deu a entender que avanços foram registrados após sua decisão, em setembro, de suspender as negociações com os insurgentes, no momento em que Washington parecia estar próximo de alcançar um acordo que previa a retirada de soldados americanos do Afeganistão em troca de garantias de segurança.

Analistas esperavam que o acordo de princípio preparasse o caminho para um diálogo direto entre os taleban e o governo de Cabul.

Para Entender

As seis 'bombas diplomáticas' que Trump precisa desarmar antes da eleição americana

Presidente tem gigantesca coleção de pontos problemáticos em torno do mundo e ele precisa de algumas conquistas até novembro de 2020

Mas Trump qualificou o esforço de negociação, que durou anos, como "morto" e retirou seu convite aos insurgentes para uma reunião nos EUA depois que um soldado americano morreu em um ataque do Taleban em Cabul. / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.