É remota possibilidade de julgamento de Pinochet

A Corte de Apelações de Santiago suspendeu temporariamente o processo contra o general Augusto Pinochet por violações aos direitos humanos alegando que o estado de saúde do ex-ditador o impede de se submeter ao julgamento. O processo contra o ex-mandatário, no entanto, poderá teoricamente prosseguir caso seu estado de saúde melhore. Mas essa possibilidade é considerada remota. Pinochet sofre de hipertensão, diabetes e artrite, usa marcapasso e sofreu pelo menos três derrames de moderada intensidade desde 1998, segundo seus médicos. Por 2 votos a um, os três juízes da corte decidiram suspender o processo, disseram os advogados de defesa e de acusação. Mas os acusadores disseram que tentarão reverter a decisão judicial. "Esta decisão é fruto das pressões políticas sobre a corte", disse o advogado da acusação, Eduardo Contreras. "Mas Pinochet entrará para a história como processado por violações aos direitos humanos... O julgamento foi suspenso apenas por supostos problemas de saúde ou loucura". Entre outras queixas-crime contra ele apresentadas, a acusação que levou Pinochet a ser processado foi a de envolvimento nos atos perpetrados pela chamada Caravana da Morte, uma operação militar que assassinou 75 prisioneiros políticos logo após o golpe militar de 1973, com o qual o general depôs o então presidente Salvador Allende. O ex-ditador negou ser responsável pelos crimes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.