Ebola está afetando crescimento de países da África Ocidental, diz FMI

O crescimento da Libéria e Serra Leoa pode cair em até 3,5 pontos percentuais, já que o pior surto de Ebola registrado até hoje paralisou os setores de mineração, agricultura e serviços, que são essenciais nos dois países da África Ocidental, disse o Fundo Monetário Internacional (FMI) nesta quinta-feira.

REUTERS

11 de setembro de 2014 | 12h46

O crescimento na Guiné, onde a mineração industrial não foi prejudicada até o momento, poderia cair em cerca de 1,5 ponto percentual, declarou Bill Murray, porta-voz do FMI.

Ele afirmou que a crise também expôs lacunas de financiamento, num total entre 100 milhões e 130 milhões de dólares em cada um dos três países, e que o FMI estava trabalhando com autoridades para analisar um financiamento adicional.

(Reportagem de Anna Yukhananov)

Mais conteúdo sobre:
GERALEBOLAAFRICAFMI*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.