Economia da Venezuela piora desde Chávez, diz estudo

Para o economista, a Venezuela sofre com erros econômicos como o controle de preços, de câmbio e juros, além da expropriação de empresas

Claudia Müller, O Estado de S.Paulo

04 Dezembro 2016 | 05h00

Projeções e indicadores econômicos apontam a Venezuela como o país com o pior desempenho macroeconômico do mundo neste ano. Esse resultado se dá pela forte recessão, a mais alta inflação mundial pelo quarto ano consecutivo, na faixa dos 700%, além de uma retração do PIB em 20% nos últimos três anos e altos níveis de desabastecimento de produtos, mostra um estudo do economista José Manuel Puente.

O economista e professor do Centro de Políticas Públicas da IESA (Instituto de Estudos Superiores de Administração) na Venezuela acredita que o “colapso” no país se desenvolveu nos últimos 15 anos, ainda no governo do ex-presidente Hugo Chávez. “Paradoxalmente, a economia começou a se deteriorar dois anos depois do fim do boom petroleiro mais extraordinário em magnitude e duração da história”, ressalta. 


De acordo com Puente, o salário mínimo do país hoje é de US$ 30, o mais baixo da América Latina junto com o Haiti. Em outubro, o presidente Nicolás Maduro anunciou um aumento de 40% no salário mínimo, o que o economista considera uma imprudência. “Esse foi o quarto aumento neste ano, e isso sem discussão, tudo de maneira unilateral”.

“Certamente esse aumento vai forçar muitas empresas a encerrar a produção ou demitir funcionários, por não terem como arcar com isso”, acrescenta.

Para o economista, a Venezuela sofre com erros econômicos como o controle de preços, de câmbio e juros, além da expropriação de empresas - foram mais de 300 em 15 anos.

O diretor da Econometrica, Francisco Ibarra, afirma que é preciso seguir outros rumos para mudar a economia, mas não acredita que Maduro fará isso. “Ele é um dos principais responsáveis por essa bagunça hoje.” 

Mais conteúdo sobre:
Venezuela PIB América Latina Haiti

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.