Economia palestina está praticamente destruída

A economia palestina está praticamente destruída. Um relatório divulgado nesta quarta-feira pela Conferência da ONU para o Desenvolvimento e o Comércio (Unctad) mostra que os conflitos nos últimos três anos anularam todos os traços de desenvolvimento econômico e social obtidos pela Palestina nos últimos 15 anos. Em outro documento, o relator especial da ONU para a alimentação, Jean Ziegler, mostra que a fome se espalha entre a população palestina e que os índices de má nutrição já são equivalentes aos da África. Segundo a Unctad, a renda per capta dos palestinos em 2002 foi equivalente a apenas 46% de sua renda em 1999. Hoje, dois terços da população vive com menos de dois dólares por dia e o desemprego já atingiu 40% dos palestinos. Diante de tantos problemas, a maioria causada pelos longos e violentos conflitos na região, a dependência dos palestinos em relação à economia de Israel é grande. De cada US$100 gerados nos territórios ocupados, US$ 45 são remetidos a Israel na compra de bens, alimentos e serviços.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.