Edwards apóia Obama em campanha presidencial dos EUA

O ex-pré-candidatodemocrata à Presidência dos EUA John Edwards manifestará naquarta-feira seu apoio a Barack Obama, segundo uma fonte docomitê de campanha. Edwards, candidato derrotado a vice-presidente em 2004,abandonou a disputa democrata em janeiro, e desde então eramuito cortejado por Obama e por sua rival Hillary Clinton. Eledeve anunciar sua escolha num comício em Grand Rapids,Michigan. Jen Psaki, porta-voz de Obama, disse a jornalistas quepoderia "confirmar o apoio" de Edwards. Apesar de ter sido derrotado na véspera por 41 pontospercentuais na Virgínia Ocidental, Obama ainda tem uma vantagemquase intransponível em número de delegados para a convençãodemocrata de agosto. Na quarta-feira, ele recebeu o apoio de quatro"superdelegados" (membros da cúpula partidária, com voto naconvenção) e da entidade Naral Pro-Choice America, que lutapelo direito ao aborto. A campanha de Obama espera que o aval de Edwards o ajudeentre o eleitorado branco e proletário, que apoiava oex-senador pela Carolina do Norte, mas nos últimos meses migrouem grande parte para a candidatura de Hillary. Apesar de quase não ter mais chances, Hillary disse ajornalistas na quarta-feira que não vai desistir antes do finaldas disputas -- faltam ainda Oregon e Kentucky no dia 20, PortoRico no dia 1o, e Montana e Dakota do Sul no dia 3. "Não temos um indicado ainda, e até termos continuareifazendo minha defesa", disse ela à Fox News. A senadora passouo dia em entrevistas e reuniões com doadores. O comitê dela acumula dívidas de 20 milhões de dólares, maso coordenador Terry McAuliffe afirmou que ela tem recursos paracompetir com Obama. Os doadores, segundo ele, estão "muitoanimados, prontos para qualquer coisa, prontos para ajudar". Na quarta-feira, Hillary recebeu o apoio de mais umsuperdelegado. Na contagem geral feita pela MSNBC, Obama tem agora 1.885delegados, contra 1.722 de Hillary. Obama passou a quarta-feira em Michigan, onde defendeu uminvestimento de 150 bilhões de dólares para criar empregos nosetor das tecnologias "limpas" e promover o uso de veículosmenos poluentes. Falando já como virtual candidato, ele disse que o seueventual adversário em novembro, o republicano John McCain,"não está oferecendo as soluções para a política econômica quesejam diferentes das que George Bush nos deu por oito longosanos". Ao visitar Michigan, Obama tenta compensar o fato de nãoter feito campanha ali nas eleições primárias, por causa de umairregularidade que anulou a votação local. "Estamos muito confiantes na nossa capacidade de ganharMichigan [na eleição geral de novembro]", disse Obama, queafirmou não ter sido escolha sua o fato de não ter havidocampanha nas primárias democratas. (Reportagem adicional de Andy Sullivan, Ellen Wulfhorst eJeff Mason)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.