Egípcio é acusado de abuso sexual em hotel de NY

Um egípcio ex-diretor do Banco de Alexandria, Mahmoud Abdel Salam Omar, de 74 anos, foi acusado de abusar sexualmente de uma camareira em um luxuoso hotel de Nova York. Menos de duas semanas antes, o então diretor-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Dominique Strauss-Khan, de 62, foi acusado por crimes similares, na mesma cidade norte-americana.

AE, Agência Estado

31 de maio de 2011 | 13h59

Omar é atualmente presidente da companhia El-Mex Salines. Ele foi preso ontem, após a camareira acusá-lo de abuso sexual, segundo a polícia. Um porta-voz da polícia disse que a camareira, de 44 anos, foi chamada no domingo ao quarto de Omar, no 10º andar do luxuoso Hotel Pierre, em Manhattan, para trocar lençóis. "Ao entrar no quarto, ela foi abusada sexualmente", disse o porta-voz, sem dar mais detalhes. Omar está detido e foi acusado de abuso sexual, cárcere privado e assédio.

Há menos de duas semanas, Strauss-Kahn, uma importante figura da política francesa e apontado como favorito na disputa à presidência do ano que vem, foi acusado de atacar sexualmente e tentar estuprar uma camareira em outro luxuoso hotel de Nova York. Strauss-Kahn afirma ser inocente. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
egípcioabuso sexualhotelNY

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.