Egípcio é preso acusado de assédio sexual em NY

Um empresário e ex-dirigente de um grande banco egípcio está enfrentando acusações de abuso sexual de uma camareira de um hotel de luxo em Nova York, apenas algumas semanas após a detenção do ex-diretor-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Dominique Strauss-Kahn, sob acusações semelhantes.

AE, Agência Estado

31 de maio de 2011 | 19h57

O empresário Mahmoud Abdel Salam Omar foi detido ontem, acusado de abusar sexualmente de uma camareira do The Pierre, um hotel luxuoso perto do Central Park e da Quinta Avenida, no Upper East Side, disse a Polícia de Nova York.

Segundo a polícia, a camareira foi chamada ao quarto de Omar na noite do domingo para trocar os lençóis, mas uma vez dentro da habitação do empresário de 74 anos, Omar não a deixou sair e a tocou de maneira inapropriada.

Paul Browne, porta-voz da polícia de Nova York, disse que os detetives acreditam que a queixa é crível. Ainda não existem informações sobre se Omar possui um advogado. Ele ficou detido em uma delegacia ontem e hoje foi enviado a outra delegacia perto de um tribunal. Omar é atualmente dirigente da El-Mex Salines Co., maior produtora de sal do Oriente Médio, com sede no Egito. Ele dirigiu o Banco de Alexandria e também foi dirigente da Federação de Bancos do Egito. As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.