Egípcio está sendo investigado pela PF

O egípcio Khaled Ta Qe El Din, suspeito de ser um seguidor de Osama Bin Laden, também está sendo alvo de investigações da Polícia Federal brasileira, há pelo menos quatro anos.Segundo a imprensa paraguaia, ele era um dos procurados pela Força Operacional de Polícia Especializada (FOPE) da Polícia Nacional do país.El Din estaria em Encarnación, onde foram presas outras 16 pessoas supostamente com documentos falsos, todas provenientes do Oriente Médio.Nesta segunda-feira, dos 17 detidos em Encarnación e Ciudad del Este, três foram libertados por terem comprovado que estavam legalmente no Paraguai e não tinham relação com movimentos extremistas.Entre eles, o comerciante Abdul Bari Mridha, que foi confundido com Abdel Abdul Megid Abdel Bary, que é procurado pela Polícia Criminalística Internacional (Interpol), além dos libaneses Hassan Apdul Jassiw e Tarek El-Mahanto.Outro libanês, Hussim el Hage, será deportado para seu país, já que estava ilegalmente no Paraguai. Outros 13 presos deverão ser processados no Paraguai por uso de documentos irregulares, mas quase nada foi levantado contra eles que pudesse comprovar o envolvimento com grupos extremistas.Para algumas pessoas,a operação da FOPE e do procurador de Justiça do país, Marcos Alcaraz, foi premeditada. Tanto é que Abdul Mridha, preso em Ciudad del Este, pode processar o governo local por este fato.Tanto em Encarnación quanto na fronteira brasileira com o Paraguai, o clima é de revolta entre as comunidades árabes. Advogados afirmam que muitas pessoas não sabiam nem mesmo o motivo da prisão e não teria havido requisição judicial para apreensão de documentos.Mas durante a operação em Ciudad del Este, Marcos Alcaraz portava ordens judiciais para busca, apreensão e prisões.A Polícia Federal brasileira está desenvolvendo suas ações na fronteira de forma sigilosa, e contando com o apoio do FBI ? a polícia federal americana ?, mas até agora não recebeu qualquer comunicação oficial dos paraguaios sobre trabalho conjunto ou pedido de captura de alguns dos supostos fugitivos.Entre eles, um casal que estaria sendo procurado pela Interpol e teria cruzado a fronteira brasileira com a chegada de agentes da FOPE.Conforme a imprensa paraguaia, entre os que teriam saído do país estaria o egípcio Khaled Ta Qe El Din, que estaria em São Paulo.O egípcio, segundo fontes policiais, é naturalizado brasileiro e esteve sob investigação desde 1996, mas nada confirmou seu envolvimento com Bi Laden, conforme revelaram jornais paraguaios.El Din, conforme as mesmas fontes, é tido como uma pessoa polêmica até mesmo dentro da comunidade árabe em Foz do Iguaçu e Ciudad del Este.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.