Egípcios aprovam mudança constitucional proposta em referendo

77% dos eleitores apoiaram as reformas constitucionais que permitirão ao país ter eleições em breve.

BBC Brasil, BBC

20 de março de 2011 | 18h30

Os dois principais grupos políticos egípcios apoiaram as mudanças

Resultados oficiais divulgados neste domingo mostram que 77% dos eleitores egípcios apoiaram as reformas constitucionais que permitirão ao país ter eleições rapidamente.

O referendo, realizado no sábado, teve participação de 41,2% dos eleitores registrados e foi a primeira vez que muitos egípcios compareceram às urnas.

Sob o governo do ex-presidente Hosni Mubarak, as eleições eram consideradas eventos encenados, com resultados pré-determinados e baixa participação popular.

Com a aprovação da mudança constitucional no referendo, é possível que uma eleição parlamentar ocorra em setembro.

Aprovação

Mohammed Ahmed Attiyah, o chefe do comitê judicial que supervisionou a eleição, disse que 18,5 milhões de pessoas que votaram apoiaram a reforma.

As mudanças constitucionais propostas pelo novo governo incluem a redução dos mandatos presidenciais de seis anos para quatro anos e o limite de dois mandatos por presidente.

Uma nova lei também obrigará o presidente a escolher um vice até 30 dias após a eleição e novos critérios devem ser definidos para candidatos presidenciais, como a obrigação de ter mais de 40 anos de idade e a proibição de serem casados com estrangeiros.

Os dois principais grupos políticos egípcios - o Partido Nacional Democrático, de Mubarak, e a Irmandade Muçulmana - apoiaram as propostas.

Mas parte dos ativistas pró-democracia diz que as mudanças não são suficientes e querem que a Constituição seja inteiramente reescrita antes das eleições.

Durante a votação, no último sábado, uma multidão enfurecida atirou pedras no líder da oposição Mohamed ElBaradei e o impediu de votar.

ElBaradei, Nobel da Paz, é um dos principais críticos do projeto de reforma constitucional.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.