Egípcios que participam de protestos revelam fotos de manifestações

BBC Brasil teve acesso a imagens registradas por manifestantes que foram às ruas no Egito.

BBC Brasil, BBC

28 de janeiro de 2011 | 11h48

A BBC Brasil teve acesso a fotos de manifestantes que foram às ruas no Egito para exigir reformas políticas no país.

As autoridades egípcias avisaram que não tolerarão mais protestos e que os manifestantes serão presos. Mesmo assim, não há sinais de diminuição nas manifestações.

Os protestos no Egito começaram na terça-feira e foram inspirados no levante popular na Tunísia que, há duas semanas, derrubou o presidente, que estava no poder havia 23 anos.

Os manifestantes egípcios exigem a saída do ministro do Interior, o estabelecimento de um limite para o mandato presidencial e a suspensão do estado de emergência.

As forças de segurança vêm reprimindo com firmeza os protestos, usando canhões de água, cassetetes e bombas de gás lacrimogêneo.

Pedras e prisões

Manifestações continuam no Egito, apesar de repressão

Segundo a imprensa do país, houve diversos confrontos durante a noite em bairros próximos à região central do Cairo, onde se concentram os maiores protestos contra o governo.

Nesta sexta-feira, policiais dispararam bombas de gás lacrimogêneo e usaram canhões d'água para dispersar multidões, que reagiram atirando pedras contra as forças de segurança. Centenas também saíram às ruas das cidades de Suez e Alexandria.

Serviços de internet e de envio de mensagens por celular foram bloqueados. A oposição culpa o governo, dizendo tratar-se de uma tentativa de impedir a organização de novos protestos. As autoridades egípcias negam.

Há relatos de que centenas de integrantes da oposição teriam sido presos durante a madrugada. O principal alvo das prisões teria sido o grupo Irmandade Muçulmana - que foi banido pelo governo.

Pelo menos sete pessoas morreram e até mil foram presas desde o início dos protestos, na terça-feira.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.