Egípcios terão 2 semanas de internet grátis após tumulto

Os quatro principais provedores de internet do Egito vão oferecer aos clientes duas semanas de acesso livre em compensação pelos recentes problemas no serviço, causados em meio aos distúrbios políticos no país. A Vodafone Egypt, unidade do Vodafone Group no país, a TE Data, a Linkdotnet e a unidade local da Emirates Telecommunications fizeram um anúncio conjunto em árabe na imprensa local.

AE, Agência Estado

14 de fevereiro de 2011 | 15h06

Uma porta-voz da Vodafone, que esteve em contato com colegas da Vodafone Egypt, traduziu o anúncio. "Caros clientes, devido à paralisação do serviço de internet entre 28 de janeiro de 2 de fevereiro, por razões que estão fora de nosso controle, nós estamos felizes em oferecer a vocês meio mês adicional de serviço gratuito, em compensação pela paralisação do serviço. Os clientes dos quatro principais provedores de serviço de internet irão se beneficiar do período de compensação, esperando que todos nossos estimados clientes entenderão essas circunstâncias excepcionais. Tudo pelo Egito", afirma o anúncio.

O governo egípcio restaurou o serviço de internet no país em 2 de fevereiro, após dias de problemas na conexão que dificultavam o trabalho dos manifestantes para organizar protestos contra o presidente Hosni Mubarak. Apesar disso, os protestos prosseguiram e Mubarak acabou renunciando na sexta-feira, após três décadas no poder. Os serviços de telefonia celular também foram prejudicados no Egito em 28 de janeiro em meio aos protestos. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Egitoprotestosinternetprovedores

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.