Egito: 10 mortos em confrontos e repressão a protesto

Dezenas de milhares de simpatizantes de Mohammed Morsi saíram às ruas do Cairo nesta sexta-feira para protestar contra o golpe de Estado que derrubou o primeiro presidente democraticamente eleito da história do Egito. Eles exigem que Morsi seja reempossado presidente.

AE, Agência Estado

05 de julho de 2013 | 16h44

Soldados posicionaram veículos blindados nas pontes sobre o Rio Nilo e abriram fogo contra os manifestantes. Ao mesmo tempo, uma multidão de islamitas atacou oponentes de Morsi. A repressão e os confrontos deixaram pelo menos dez mortos e 210 feridos no Cairo e em outras cidades egípcias, segundo o Ministério da Saúde do país.

Mais cedo, em uma aparição dramática, o líder supremo da Irmandade Muçulmana, Mohammed Badie, prometeu devolver o cargo ao presidente deposto do Egito, Mohammed Morsi, e disse que os egípcios não vão aceitar um "governo militar" por mais um dia.

Badie, figura reverenciada entre os seguidores da Irmandade, fez as declarações nesta sexta-feira perante uma multidão de dezenas de milhares de partidários de Morsi no Cairo, enquanto um helicóptero militar sobrevoava a região. Fonte: Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.