Reuters
Reuters

Egito abre a fronteira para visitantes da Faixa de Gaza

Após dois meses, país abre a fronteira de Rafah, única passagem de Gaza para outros países que não faz fronteira com Israel

O Estado de S. Paulo

21 de dezembro de 2014 | 20h20


O Egito abriu ontem pela primeira vez, em quase dois meses, a fronteira de Rafah para viajantes que chegam a partir da Faixa de Gaza. Rafah é a única grande passagem entre a empobrecida Gaza, onde vivem 1,8 milhão de palestinos, e o mundo exterior que não faz fronteira com Israel.

A passagem havia sido fechada em 25 de outubro, depois que militantes Islâmicos na região do Sinai mataram 33 membros de forças de segurança egípcia em um dos piores casos de violência desde que o presidente islamita Mohamed Mursi foi derrubado em julho de 2013.

Gaza é dominada pela facção islâmica do Hamas, que tem laços com a Irmandade Mulçumana, que foi expulsa do poder no Egito quando Mursi foi derrubado. Segundo representantes do Hamas, a fronteira ficará aberta por dois dias principalmente por razões humanitárias, para permitir que doentes viagem para o Egito. 

Mais conteúdo sobre:
EgitoFaixa de GazaIsrael

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.