Egito cria zona de tampão na fronteira com Gaza

Autoridades egípcias determinaram nesta terça-feira que moradores ao longo da fronteira leste do país com a Faixa de Gaza deixassem o local. O objetivo é demolir as casas e construir uma zona tampão para impedir o tráfico de armas e de combatentes entre o Egito e o território palestino, de acordo com autoridades.

Estadão Conteúdo

28 de outubro de 2014 | 17h29

A medida foi adotada quatro dias após militantes atacaram um posto do Exército egípcio, deixando pelo menos 31 soldados mortos na região rebelde no norte da Península do Sinai. Após o ataque, o Egito declarou estado de emergência e toques de recolher. As autoridades também fecharam indefinidamente a fronteira com Gaza, a única passagem não israelense para a faixa de terra.

A zona tampão vai incluir trincheiras cheias de água para impedir a escavação de túneis. Ela terá 500 metros de largura estendidos ao longo do 13 quilômetros.

Oficiais do Exército conversaram com moradores e deram inicialmente 48 horas para que deixassem a área, mas tiveram de rever o prazo após protestos. Grupos de residentes estão negociando com autoridades locais a extensão da data.

Forças egípcias lançaram uma ofensiva no norte do Sinai contra militantes islâmicos que transformaram várias áreas em fortalezas nos últimos três anos, destruindo muitos dos túneis que conectam a região com Gaza. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
EgitoFaixa de Gaza

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.