Egito decide sacrificar 300 mil porcos por precaução

O governo egípcio anunciou hoje que sacrificará todos os porcos do país como medida preventiva contra uma possível epidemia de gripe suína. O Ministério da Saúde informou que o sacrifício dos 300 mil porcos do país começará imediatamente. A administração egípcia reafirmou várias vezes que não há vítimas da gripe suína no país. Porém o vizinho Israel já registrou dois casos. A Organização Mundial de Saúde (OMS) afirma que é seguro consumir a carne de porco, desde que o alimento seja corretamente preparado e cozido.

AE-AP, Agencia Estado

29 de abril de 2009 | 10h13

A OMS convocou para hoje uma reunião de emergência com especialistas em gripes, em resposta ao aumento de casos de gripe suína em vários países. O painel deve ocorrer hoje, para discutir a possível elevação do nível de alerta, atualmente em 4, em uma escala de 1 a 6. O nível 4 significa que a transmissão de ser humano para ser humano foi verificada e "marca uma mudança significativa de aumento no risco de uma pandemia", segundo o site da OMS. O nível 5 é considerado um sinal de que uma pandemia - epidemia generalizada - é iminente. O nível 6 indica que uma pandemia global está em desenvolvimento.

Estados Unidos

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, afirmou hoje que as autoridades de escolas com casos de gripe suína deveriam considerar o fechamento temporário. Obama disse hoje que os norte-americanos "devem saber" que o governo está fazendo todo o possível para conter a emergência de saúde pública. Hoje, foi confirmada a primeira morte causada pela gripe suína nos EUA, de um bebê de quase dois anos no Texas. O presidente enviou condolências à família.

Obama disse que o fechamento de alguns locais pode ser necessário, especialmente em casos de infecções confirmadas. O presidente disse que funcionários de saúde pública recomendam "que escolas com casos confirmados devem considerar o fechamento, se a situação ficar mais séria".

Tudo o que sabemos sobre:
gripe suínaEgitoporcos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.