Egito declara estado de emergência no Sinai após ataque

Egito declara estado de emergência no Sinai após ataque

Conselho também ordenou toque de recolher de três horas a partir de sábado em áreas próximas às fronteiras do Egito com Israel e à Faixa de Gaza.

O Estado de S. Paulo

24 de outubro de 2014 | 20h33

O Conselho de Defesa Nacional do Egito declarou um estado de emergência de três meses na parte norte da Península do Sinai após um ataque coordenado matar 30 soldados nesta sexta-feira.

Em uma declaração feita na rede de televisão estatal, o conselho liderado pelo presidente egípcio Abdel-Fattah El-Sissi também ordenou um toque de recolher de três horas a partir de sábado em áreas próximas às fronteiras do Egito com Israel e à Faixa de Gaza.

O episódio desta sexta-feira foi o pior ataque individual em décadas contra o Exército do Egito, que tem se esforçado para conter a onda de violência por parte de extremistas islâmicos desde a derrubada do presidente muçulmano Mohammed Morsi.

A TV estatal egípcia também informou o fechamento da passagem de Rafah, destinada a não israelenses, na Faixa de Gaza. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Egitoestado de emergênciaviolência

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.