Egito desiste de empréstimo do FMI e do Banco Mundial

O governo do Egito decidiu não manter um pedido anterior de empréstimos ao Fundo Monetário Internacional (FMI) e ao Banco Mundial. A decisão foi tomada após revisões no orçamento do país, disse um funcionário do Ministério de Finanças neste sábado.

AE, Agência Estado

25 de junho de 2011 | 11h49

O FMI deveria aprovar um acordo stand-by de 12 meses para o Egito no valor de US$ 3 bilhões durante uma reunião de seu conselho em julho. E o Banco Mundial disse em maio que emprestaria US$ 4,5 bilhões para o Egito nos próximos dois anos para atender aos déficits de orçamento e das reservas e para financiar investimentos.

Mas o funcionário do Ministério de Finanças, que pediu anonimato, disse que o conselho militar que governa o país decidiu não mais pedir empréstimos ao FIM e ao Banco Mundial porque não quer assumir mais empréstimos externos.

"Uma das prioridades da revolução é reduzir a dívida externa", disse o funcionário, lembrando que quaisquer empréstimos do FMI ou do Banco Mundial viriam com a exigência de cumprimento de "condições".

Na semana passada, o governo revisou seu orçamento para o ano fiscal 2011-2012, cortando o déficit orçamentário para 8,6% do Produto Interno Bruto (PIB), ante previsão anterior de 11% do PIB. O novo orçamento inclui um aumento do imposto de renda e um aumento no imposto sobre a venda de cigarros de 40% para 50%. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
EgitoeconomiaFMI

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.