, O Estado de S.Paulo

18 de fevereiro de 2011 | 00h00

Três ex-ministros egípcios e o magnata do aço, Ahmad Ezz, foram detidos ontem por ordem da Promotoria, suspeitos de corrupção e lavagem de dinheiro. As prisões ocorrem poucos dias após uma revolta popular obrigar o presidente Hosni Mubarak a deixar o poder.

Os ex-ministros do Interior Habib al-Adli, o do Turismo Zuheir Garana, e o da Habitação Ahmed al-Maghrabi, assim como o empresário, ficarão presos provisoriamente durante 15 dias, enquanto o caso está sendo investigado. Eles também tiveram suas contas bancárias bloqueadas e foram proibidos de deixar o Egito. Al-Adli foi um dos alvos dos protestos contra o regime após os violentos confrontos entre as forças de segurança e os manifestantes. / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.