Basma Fathy / Almasry Alyoum / Efe
Basma Fathy / Almasry Alyoum / Efe

Egito determina novo julgamento de Mubarak em caso de corrupção

Com decisão, ex-ditador pode ser solto; outro tribunal já rejeitou acusações contra ele por conspiração para a morte de manifestantes

O Estado de S. Paulo

13 de janeiro de 2015 | 08h30


CAIRO - A alta corte do Egito egípcia reverteu nesta terça-feira, 13, a única condenação restante contra o ex-ditador Hosni Mubarak e ordenou que seja realizado um novo julgamento em um caso de corrupção, abrindo caminho para a possível libertação do presidente deposto.

Mubarak, de 86 anos, foi condenado a três anos de prisão em maio por desviar recursos públicos destinados a reformar palácios presidenciais e usar o dinheiro para propriedades da família. Seus dois filhos foram condenados a quatro anos de prisão cada um pelo mesmo caso.

O ex-presidente, que comandou o Egito por 30 anos, vem cumprindo pena de prisão em um hospital militar do Cairo. Agora que um novo julgamento será realizado, fontes da Justiça dizem que Mubarak pode ser solto se não houver mais nenhuma condenação contra ele.

Em novembro, outra corte rejeitou as acusações contra Mubarak, de ele ter conspirado para matar manifestantes em uma revolta de 2011 que o derrubou do poder, e o inocentou em outros dois casos de corrupção. Mubarak ainda enfrentará um terceiro e último julgamento por acusação de envolvimento na morte dos manifestantes.

A decisão de rejeitar as acusações resultou em protestos em universidades do Egito. Ao menos duas pessoas foram mortas e nove ficaram feridas quando as forças de segurança reprimiram cerca de mil manifestantes que tentavam entrar na Praça Tahir - coração da revolta que derrubou Mubarak. /REUTERS

Tudo o que sabemos sobre:
EgitoHosni Mubarak

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.