Amr Abdallah Dalsh/Reuters
Amr Abdallah Dalsh/Reuters

Egito dispara mísseis contra extremistas no Sinai

Ação acontece dias após 16 soldados terem sido mortos em ação atribuída a islâmicos radicais

AE, Agência Estado

08 de agosto de 2012 | 08h44

CAIRO - O Exército egípcio matou 20 militantes em um ataque com helicópteros na Península do Sinai nesta quarta-feira, 8, afirmaram a TV estatal e autoridades. A ação acontece alguns dias após 16 soldados terem sido mortos em uma ação atribuída a extremistas islâmicos.

Veja também:

linkHomens armados atacam posto de controle na península do Sinai

linkEgito começa a fechar túneis de Gaza após ataque na fronteira

forum CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK

Autoridades militares disseram que esta é a primeira vez que mísseis foram lançados no Sinai desde a guerra com Israel em 1973, que foi uma tentativa de recapturar a Península. A emissora Nile News reportou que os helicópteros Apache da Força Aérea do Egito dispararam em veículos de militantes no norte do Sinai.

Fontes na Defesa egípcia afirmaram que a operação foi realizada horas após três postos de segurança terem sido atacados por militantes islamitas na cidade de El-Arish, cerca de 50 quilômetros de distância da fronteira com Israel.

Os oficiais, que falaram em condição de anonimato pois não estão autorizados a conversar com a imprensa, disseram que seis pessoas ficaram feridas: três militares, dois policiais e um civil que está em estado grave. "A operação vai continuar", informou um militar, que confirmou que "20 terroristas foram mortos". A Península do Sinai voltou ao controle do Egito após um tratado de paz firmado com Israel em 1979. As forças israelenses saíram da região em 82.

As informações são da Associated Press e Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
EgitoSinaiataquefronteiramortos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.