Egito diz que acordo de cessar-fogo ainda é viável

O ministro do Exterior do Egito, Sameh Shukri, afirmou nesta quinta-feira que a proposta de cessar-fogo entre Israel e Palestina, apresentada pelo seu governo, é a única saída viável para interromper a "situação humanitária intolerável" na Faixa de Gaza. Segundo ele, o acorde continua a ganhar aceitação das autoridades internacionais.

Agência Estado

17 Julho 2014 | 12h21

"A única forma da proteger o povo e evitar mais derramamento de sangue é aceitar o plano", disse o ministro, que demonstrou frustração com as "facções palestinas" que não aceitaram o acordo, em clara referência ao Hamas. Ele ressaltou também que o plano foi endossado pela Liga Árabe e pela União Europeia.

A declaração veio logo após o início da pausa de cinco horas nos ataques, iniciada às 10h da manhã, no horário local. Israel concordou em suspender os ataques para permitir que a população de Gaza reabastecesse os estoques de produtos básicos.

"Esperamos que o cessar-fogo de cinco horas seja estendido e que todos os lados aceitem o acordo proposto pelo Egito, que está em negociação há dias", disse Shukri. O plano, apresentado na segunda-feira, previa a aceitação incondicional do cessar-fogo e o envio de ajuda humanitária para Gaza. Israel concordou com a proposta, recusada pelo Hamas, que controla o território palestino sob ataque.

A ofensiva lançada por Israel no último dia 8 de julho matou mais de 230 palestinos, incluindo mulheres e crianças, e um israelense. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
Egito cessar-fogo Israel Gaza

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.