Ahmed Gomaa/AP
Ahmed Gomaa/AP

Egito diz que solução para a crise é 'iminente'

Ministro de Justiça do Egito, Ahmed Mekki, tenta esfriar os ânimos, acirrados desde manobra de Morsi

Agência Estado

26 de novembro de 2012 | 12h01

CAIRO - O ministro de Justiça do Egito, Ahmed Mekki, disse nesta segunda-feira, 26, que é "iminente" uma resolução à crise política originada pela decisão do presidente Mohamed Morsi de aumentar seus poderes. Com a declaração, Mekki tenta esfriar os ânimos.

 

Ele falou a jornalistas horas antes de Morsi se encontrar com membros do Judiciário do país para discutir o decreto anunciado na última quinta-feira.

 

O decreto define que o presidente pode tomar, em caráter definitivo e irrevogável, "qualquer decisão ou medida para preservar a revolução", o que deu início a uma nova queda de braço com o Judiciário em um momento no qual um painel tenta elaborar uma nova Constituição para o país.

 

Mekki tem sido intermediador do presidente e do Judiciário na tentativa de abater a crise, apesar de não dizer qual deve ser a solução iminente. Morsi reuniu-se hoje com o Conselho Superior de Justiça do país e com o Tribunal de Apelação para tentar minimizar a crise.

 

A oposição a Morsi acusou-o de estar assumindo "poderes ditatoriais", e prometeu continuar os protestos nas ruas até que o presidente volte atrás.

As informações são da Associated Press

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.