Egito: dois porta-vozes do governo Morsi renunciam

Um funcionário do Ministério de Relações Exteriores disse que dois porta-vozes do presidente Mohammed Morsi deixaram seus cargos. Tratam-se das mais recentes deserções do problemático governo, num momento em que manifestantes e militares desafiam a autoridade do presidente.

Agência Estado

02 de julho de 2013 | 09h01

O porta-voz presidencial Ehab Fahmy - que foi destacado para a presidência por sua atuação no Ministério de Relações Exteriores - apresentou sua demissão, revelou a fonte à agência France Presse.

O porta-voz do gabinete, Alaa al-Hadidi, disse à agência oficial de notícias Mena que também entregou sua renúncia ao cargo ao primeiro-ministro Hisham Qandil. Segundo a fonte, que falou em condição de anonimato, os dois são diplomatas de carreira.

A decisão complica ainda mais a situação do presidente, cujo governo é alvo de protestos que pedem sua saída do cargo.

Na segunda-feira, seis ministros do gabinete do presidente deixaram seus postos e as Forças Armadas deram a Morsi um ultimato de 48 horas para resolver suas diferenças com a oposição, caso contrário os militares vão intervir e supervisionar a implementação de seu próprio programa político. O prazo ultimato termina na quarta-feira. Fonte: Associated Press e Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
Egitoprotestosrenúncias

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.