O Estado de S.Paulo

12 de março de 2012 | 03h05

A Justiça egípcia inocentou um médico das Forças Armadas acusado de realizar "testes de virgindade" em manifestantes mulheres durante o levante que depôs o presidente Hosni Mubarak. Dissidentes prometeram novos protestos contra a decisão judicial.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.