Egito marca eleições parlamentares para 28 de novembro

Votação da câmara alta também será realizada em três fases a partir do dia 29 de janeiro

Agência Estado e Efe

27 Setembro 2011 | 11h16

CAIRO - As eleições parlamentares no Egito, as primeira desde a revolta que depôs e presidente Hosni Mubarak em fevereiro, terão início em 28 de novembro, informou a agência oficial de notícias Mena nesta terça-feira, 27.

"O Conselho Supremo das Forças Armadas estabeleceu a data de 28 de novembro para o início do primeiro estágio das eleições parlamentares, que serão realizadas em três turnos", informou a Mena, citando fontes do conselho.

 

Além disso, a fonte informou que as eleições da câmara alta ou Shura também serão realizadas em três fases a partir do dia 29 de janeiro.

Este anúncio contrasta com a previsão feita em 18 de setembro pelo presidente da comissão eleitoral, Ibrahim Abdelmuiz, que afirmou que as eleições à Assembleia do Povo (câmara baixa) seriam feitas a partir de 21 de novembro e as da Shura começariam em 22 de fevereiro.

De acordo com o informado nesta terça-feira pela junta militar, dois terços das cadeiras do Parlamento serão eleitas de listas fechadas e o outro terço será composto por indivíduos escolhidos em listas abertas.

A primeira proposta realizada pelo Conselho Supremo das Forças Armadas estipulava que a metade dos deputados seria escolhida por listas fechadas e a outra metade por listas abertas, o que provocou a rejeição dos principais partidos políticos.

Estava prevista para segunda-feira a publicação de um decreto pela junta militar para convocar as eleições oficialmente, e abrir o prazo para que os eleitores possam se inscrever como candidatos, mas nenhum prazo foi estipulado sobre isso.

Após vários atrasos no anúncio da data eleitoral, serão realizadas as primeiras eleições desde a renúncia de Mubarak, forçada pela Revolução de 25 de Janeiro.

Depois das eleições legislativas, é prevista a redação da nova Constituição e a realização de eleições presidenciais.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.