Egito: militares querem painel constituinte em 48 horas

O conselho da junta militar do Egito fixou nesta terça-feira um prazo de 48 horas para os partidos políticos finalizarem a formação de um painel de cem membros que escreverá a nova Constituição do país, ou então ele mesmo fará a nova lei. O parlamentar Mustafá Bakri informou os políticos sobre o ultimato após representantes de 18 partidos políticos e independentes terem se reunido com o chefe do conselho da junta, o marechal Hussein Tantawi.

AE, Agência Estado

05 de junho de 2012 | 19h44

O processo está em impasse desde que o Parlamento, dominado pelos islamitas, tentou formar o painel apenas com seus políticos, o que levou os seculares e liberais a deixarem a casa em protesto e levou à suspensão de toda a assembleia.

O impasse espelha as profundas divisões políticas no Egito, a menos de duas semanas do segundo turno das eleições presidenciais, quando um candidato da Irmandade Muçulmana enfrentará um candidato secular e egresso do regime autoritário de Hosni Mubarak.

Bakri disse que se os políticos fracassarem em nomear o painel, então o conselho da junta militar emitirá "uma declaração constitucional suplementar" para redigir o rascunho da lei e formar o painel. A Irmandade Muçulmana rechaçou essa possibilidade e disse que "ninguém pode tirar do Parlamento a sua autoridade em emitir as leis".

As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.