Egito não enviará tropas ao Líbano, afirma Mubarak

O presidente egípcio, Hosni Mubarak, reafirmou, em declarações publicadas nesta terça-feira na imprensa local, que o Exército de seu país não se envolverá em qualquer combate fora dasfronteiras do Egito. Mubarak respondeu assim aos apelos para que os exércitos de países árabes defendam o Líbano contra a atual ofensiva israelense. Os pedidos têm sido feitos em manifestações populares em váriospaíses árabes, em protesto contra os ataques israelenses ao Líbano. "O Egito não será forçado a participar de operações militares fora de seu território. Não tomaremos decisões contrárias aos interesses de nossa pátria pelas ações de uma minoria", disseMubarak. O Egito, que assinou um acordo de paz com Israel em 1979, qualificou de "irresponsável" a captura de dois soldados israelenses pelo Hezbollah, que deu início ao atual conflito. A postura é semelhante à da Arábia Saudita, que tambémresponsabilizou a milícia xiita pela atual crise. O governo egípcio tem sido duramente criticado pela imprensa de oposição e durante as manifestações no mundo árabe. "Nosso Exército serve para defender a nosso território", insistiuo governante, um dos principais aliados árabes dos Estados Unidos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.