Egito prende 17 membros da Irmandade Muçulmana

Um funcionário do setor de segurança do Egito disse hoje, sob condição de anonimato, que 17 membros da proscrita Irmandade Muçulmana foram detidos no domingo. Eles são suspeitos de envolvimento em atividade política proibida. A Irmandade Muçulmana é o principal grupo oposicionista egípcio. Ainda que oficialmente banido, seus membros concorrem a cargos públicos como independentes. Eles ocupam aproximadamente um quinto do Parlamento do país.

AE/AP, Agencia Estado

18 de março de 2009 | 12h54

O funcionário disse que um promotor egípcio emitiu ordens de detenção de 15 dias para os detidos, enquanto realizavam um encontro na região do delta do Nilo. O grupo afirma que seus membros estavam celebrando o aniversário de uma criança, e não qualquer atividade política.

Tudo o que sabemos sobre:
EgitoIrmandade Muçulmanaprisão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.