Egito prende dois membros da Irmandade Muçulmana

As forças egípcias prenderam dois membros da Irmandade Muçulmana, um sacerdote e um porta-voz do grupo, segundo informações de fontes militares e de segurança dadas à AFP nesta quarta-feira.

AE, Agência Estado

21 de agosto de 2013 | 05h20

O sacerdote Safwat Hegazy foi preso perto da fronteira do Egito com a Líbia no oeste do país, disse uma fonte militar. Hegazy estava foragido depois que um mandado de prisão foi emitido após a queda do presidente Mohammed Mursi no mês passado.

Mourad Ali, um porta-voz para a partido Liberdade e Justiça, da Irmandade, foi "preso no aeroporto de Cairo enquanto tentava partir para a Itália", disse uma fonte de segurança.

Segundo uma fonte do aeroporto, Ali "tinha raspado a barba e vestia roupas casuais". O nome do porta-voz estava em uma lista de pessoas que estão proibidas de fazer viagens aéreas,

As últimas prisões ocorreram após o guia supremo da Irmandade, Mohammed Badie, ter sido detido na terça-feira.

Em julho, as autoridades emitiram cerca de 300 ordens de detenção e mandados de prisão contra membros da Irmandade Muçulmana. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
egitoprisões

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.