Egito prende líder da Irmandade Muçulmana, diz governo interino

Vice-líder do Partido Liberdade e Justiça, Essam El-Erian estava foragido no Cairo

30 de outubro de 2013 | 08h49

CAIRO  - Autoridades egípcias prenderam o importante líder da Irmandade Muçulmana Essam El-Erian, disse uma fonte do Ministério do Interior nesta quarta-feira, 30. Foi a mais recente detenção de um líder da oposição islamista na ofensiva do governo contra o movimento.

Erian, vice-líder do partido Liberdade e Justiça, o braço político da Irmandade, foi levado sob custódia de uma residência em Novo Cairo, onde estava escondido. "Sim, ele foi preso e os detalhes serão divulgados em breve", disse a fonte à Reuters.

Muitos líderes da Irmandade foram detidos e acusados de incitar a violência desde que o Exército depôs o presidente islâmico Mohamed Mursi, em 3 de julho, após protestos em massa contra o governo.

Pelo menos mil pessoas, incluindo membros das forças de segurança, foram mortas na violência que se seguiu à derrubada de Mursi. Centenas de partidários do presidente deposto foram mortos quando as forças policiais atacaram dois acampamentos de manifestantes que cobravam a reintegração de Mursi, em 14 de agosto.

Mursi, Erian e outros 12 líderes da Irmandade devem ir a julgamento na segunda-feira sob a acusação de incitar a violência.

Os líderes da Irmandade acusam o Exército de ter realizado um golpe de Estado, prejudicando os ganhos democráticos obtidos desde uma revolta popular que derrubou o veterano autocrata Hosni Mubarak, em 2011. / REUTERS

Tudo o que sabemos sobre:
Golpe no Egito

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.