Egito prende membros de grupo muçulmano de oposição

A polícia egípcia deteve 29 membros da Irmandade Muçulmana, o mais forte movimento de oposição do país, em uma série de operações policiais em três províncias do norte nesta terça-feira, disseram fontes do grupo.Membros do movimento afirmaram que assessores de parlamentares da Irmandade foram presos e o vice-líder Mohamed Habib informou que importantes integrantes estavam entre os detidos. Um porta-voz do Ministério do Interior não quis comentar .Apesar de oficialmente proibida, a Irmandade opera de maneira relativamente aberta, mas é sujeita a sanções freqüentes pelo governo, que usualmente prende membros do grupo por meses sem acusação formal. Desde dezembro, diversos militantes foram detidos.Segundo o grupo, as punições são parte de uma campanha do governo para enfraquecer a oposição às emendas constitucionais propostas pelo governo. Uma das emendas propostas pelo presidente Hosni Mubarak proíbe partidos políticos de base religiosa. A Irmandade mantém quase um quinto dos assentos do Parlamento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.