Egito prende suspeitos de planejar ataque contra judeus

Autoridades do Egito afirmaram hoje ter prendido 25 suspeitos de planejar um ataque contra peregrinos judeus no país, este ano. Os detidos confessaram ter participado de um complô para explodir o túmulo de um rabino do século 19, que atrai centenas de peregrinos israelenses em janeiro.

AE, Agencia Estado

31 de janeiro de 2010 | 13h04

Os 25 indivíduos, presos com explosivos na região do Delta do Nilo, também são suspeitos de ligações com um grupo extremista islâmico.

Neste ano, o governo egípcio permitiu a peregrinação para o santuário do rabino Yaakov Abuhatzeira, perto da cidade de Alexandria, mas com segurança reforçada. A peregrinação havia sido cancelada em 2009, por causa da campanha israelense contra o grupo militante Hamas na Faixa de Gaza.

A polícia egípcia também disse ter prendido uma célula ligada à rede terrorista Al-Qaeda, que é suspeita de um ataque a bomba numa feira de rua no Cairo, em fevereiro de 2009, que matou um adolescente francês.

As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.