Egito: Presidente diz que novos poderes são temporários

O presidente do Egito, Mohammed Morsi, assegurou neste domingo que os amplos poderes por ele assumidos na semana passada são temporários, e pediu a abertura de um diálogo político mais amplo no país.

RICARDO GOZZI, Agência Estado

25 de novembro de 2012 | 18h01

"A presidência reitera a natureza temporária das medidas. O objetivo delas não é concentrar poder, mas sim devolvê-lo ao Parlamento democraticamente eleito, assim como preservar a imparcialidade do Judiciário e evitar sua politização", divulgou a assessoria de imprensa de Morsi.

Na quinta-feira, o presidente egípcio emitiu decreto constitucional por meio do qual pode tomar, em caráter definitivo e irrevogável, "qualquer decisão ou medida para preservar a revolução".

O decreto deu início a uma nova queda de braço com o Judiciário em um momento no qual um painel tenta elaborar uma nova Constituição para o país. Ao mesmo tempo, a oposição acusou Morsi de estar assumindo "poderes ditatoriais".

Na nota divulgada neste domingo, a presidência egípcia "reforça seu firme compromisso com o engajamento de todas as forças políticas em um diálogo inclusivo e democrático para alcançar posições comuns e superar as divergências na busca por um consenso nacional sobre a Constituição, que será o pilar das modernas instituições" do país. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Egitopresidenteconstituição

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.