Egito propõe cessar-fogo entre Israel e Palestina

O Egito apresentou uma proposta de cessar-fogo entre Palestina e Israel nesta segunda-feira para interromper a escalada de violência que atinge a região há cerca de uma semana. O conflito já matou pelo menos 185 palestinos.

Agência Estado

14 Julho 2014 | 18h37

Uma autoridade do Hamas, que controla a Faixa de Gaza, disse que o grupo está aberto a negociar o plano, considerado a ação mais concreta tomada pelos negociadores internacionais até agora. Israel não se manifestou, mas a mídia local informa que oficiais do governo indicam considerar seriamente o acordo.

Israel pede garantias de um período prolongado de trégua, enquanto o Hamas busca uma flexibilização do bloqueio imposto a Gaza.

O ministro do Exterior do Egito anunciou o plano, que incluiria três passos, com a condição de um cessar-fogo temporário a ser adotado em 12 horas pelos dois lados. A paralisação dos ataques seria seguida pela abertura das fronteiras de Gaza e negociações entre os governos no Cairo daqui a dois dias.

"O problema não é voltar ao acordo de não agressão, porque queremos o fim dos ataques", afirmou o Líder do Hamas em Gaza, Ismail Haniyeh. "O problema é a realidade de Gaza, o cerco, a fome, os bombardeios... O cerco deve acabar e o povo de Gaza precisa de uma vida digna", acrescentou.

A proposta era esperada para a reunião da Liga Árabe de ministros do exterior nesta segunda-feira. O secretário de Estado dos Estados Unidos, John Kerry, e o ministro do Exterior da Alemanha, Frank-Walter Steinmeier, devem viajar à região na terça-feira. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
ISRAELPALESTINACESSAR-FOGO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.