Egito reduz pena para convidados de casamento gay

Cairo, 27/12/2014 - Um tribunal de apelações do Egito reduziu a sentença de oito homens acusados de "incitar o deboche" por terem participado de um suposto casamento gay. A condenação foi reduzida de três para um ano de prisão. O julgamento foi baseado em um vídeo divulgado na internet que mostra dois homens trocando alianças e se abraçando, enquanto amigos festejam, em um bote no rio Nilo.

Estadão Conteúdo

27 de dezembro de 2014 | 13h57

A lei egípcia não proíbe explicitamente a homossexualidade, então os acusados foram julgado por "deboche", uma alegação normalmente usada contra prostitutas. No domingo passado, um tribunal começou a julgar 26 homens por acusações semelhantes, após eles terem sido presos durante uma blitz em uma sauna no Cairo. O Egito é um país muçulmano conservador, com uma pequena minoria católica, e a homossexualidade é um tabu nas duas comunidades. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
Egitogayscasamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.