Egito registra 1ª morte em protestos contra o presidente

Rebeldes invadiram neste domingo um diretório da Irmandade Muçulmana no norte do Egito, segundo informaram autoridades policiais. No episódio ocorrido na cidade de Damanhoor, próxima ao rio Nilo, um manifestante adolescente foi morto e 40 pessoas ficaram feridas.

EQUIPE AE, Agência Estado

25 de novembro de 2012 | 20h42

Essa foi a primeira morte em três dias de conflitos nas ruas após o presidente do país, Mohammed Morsi, ter assumido poderes mais amplos. Na quinta-feira, o presidente egípcio emitiu decreto constitucional por meio do qual pode tomar, em caráter definitivo e irrevogável, "qualquer decisão ou medida para preservar a revolução".

Neste domingo, o índice EGX-30 da bolsa de valores egípcia, que compreende Cairo e Alexandria, fechou em queda de 9,54%, em 4.917,73 pontos, em reação aos protestos da população contra a decisão do presidente Mohammed Morsi de assumir amplos poderes no Egito. Por causa do decreto, Morsi já está sendo chamado na imprensa egípcia e internacional de "o novo faraó". As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Egitopresidênciaviolência

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.