Egito rejeita críticas sobre prisão de jornalistas

O Ministério de Relações Exteriores do Egito rejeitou as críticas dos Estados Unidos à decisão de enviar para julgamento 20 jornalistas da Al-Jazeera, afirmando que o Judiciário do país é independente.

Agência Estado

30 de janeiro de 2014 | 10h58

As declarações desta quinta-feira feitas por Badr Abdelattie, porta-voz do ministério, foram feitas um dia depois de a promotoria do país ter enviado 20 jornalistas para julgamento. Eles são acusados de ajudar ou pertencer a um grupo terrorista e de ameaçar a segurança nacional. A data dos julgamentos ainda não havia sido determinada.

O porta-voz do Departamento de Estado norte-americano, Jen Psaki, disse que Washington está "profundamente preocupado" com a falta de liberdade no Egito e com o "desrespeito flagrante da proteção dos direitos e liberdades fundamentais" no país.

Abdelattie afirmou que o sistema judiciário do Egito assegura a realização de julgamentos justos e que o governo não interfere em seu trabalho. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
EgitojornalistasprisãoEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.