Egito: repórter suspeito de incitar violência é preso

Um jornalista freelancer foi detido pela polícia egípcia nesta quarta-feira por incitar a violência, informou a agência de notícias estatal Mena. Abdel-Rahman Shaheen, que já trabalhou para a rede Al-Jazeera, é suspeito de participar e incentivar ações contra a polícia, incluindo a queima de veículos de segurança. Um policial informou à agência Mena que o repórter já teve nove mandados de prisão emitidos contra ele por ataques violentos.

AE, Agência Estado

09 de abril de 2014 | 18h13

Shaheen também prestou serviços para o jornal e televisão do grupo Irmandade Muçulmana, declarado terrorista pelo governo egípcio após a queda do ex-presidente Mohammed Morsi. Mais de mil simpatizantes da organização foram mortos desde então durante operações de segurança em protestos. Outros 1.600 estão detidos.

Também nesta quarta-feira, o governo dos Estados Unidos anunciou ter imposto sanções contra o grupo islamita Ansar Bayt al-Maqdis, que assumiu a responsabilidade por ataques contra oficiais egípcios, alvos israelenses e turistas estrangeiros na capital do país, Cairo, e na península do Sinai.

O Departamento de Defesa dos Estados Unidos definiu o grupo como uma "organização terrorista estrangeira" e congelou qualquer tipo de ativo que seus membros possam ter no país. Os EUA defendem que o Ansar Bayt al-Maqdis é simpático à Al-Qaeda, mesmo sem ser formalmente afiliado ao grupo militante. Fonte: Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.