Egito: serviço de informação critica mídia estrangeira

O Serviço de Informação do Estado do Egito emitiu um comunicado repreendendo repórteres estrangeiros que estão cobrindo a onda de violência no país. Segundo o documento, enviado por e-mail aos correspondentes, há uma "cobertura parcial" dos incidentes, que privilegia simpatizantes do presidente deposto Mohammed Morsi.

Agência Estado

17 de agosto de 2013 | 19h00

O Serviço também criticou a imprensa estrangeira por não prestar atenção suficiente aos ataques a cristãos e à "intimidação" de islâmicos a cidadãos egípcios.

"O Egito está sentindo uma grave amargura pela cobertura da mídia ocidental, que é tendenciosa para a Irmandade Muçulmana e ignora lançar luz sobre atos de violência e terror que são perpetradas por este grupo, na forma de operações de intimidação aos cidadãos", disse o comunicado não assinado. As informações são da Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
Egitocrisejornalistas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.