Egito tenta convencer palestinos a aceitarem um cessar-fogo

Mediadores egípcios tentavamhoje convencer grupos extremistas palestinos a aceitarem umcessar-fogo com Israel, ao mesmo tempo em que o Estado judeuanunciou considerar uma retirada gradual de grandes áreas daFaixa de Gaza e da cidade de Belém, na Cisjordânia. Conseguir um apoio dos grupos palestinos a uma trégua écrucial para a implementação do plano de paz apoiado pelosEstados Unidos, conhecido como mapa do caminho. Há grandesexpectativas de que desta vez o Egito consiga estabelecer umatrégua depois de várias tentativas frustradas em mesesrecentes. Os mediadores egípcios chegaram à região horas depois de ochefe palestino de segurança, Mohammed Dahlan, ter conversadocom o general de divisão israelense Amos Guilad. Dahlan propôs a retiradas das forças israelenses de Gaza auma posição anterior ao início da atual intifida, em setembro de2000. Dahlan também pediu a Israel que se retire das cidades deBelém e Ramallah, na Cisjordânia, esta última o centroadministrativo palestino. O ministro israelense de Defesa, Shaul Mofaz, confirmou hojeque considera a retirada de partes de Gaza e de Belém. "Estamostratando dos detalhes de logística sobre onde estão asfronteiras e quem ficará a cargo de cada uma das áreas", disseMofaz aos ministros do gabinete, segundo uma alta fonteisraelense. Em uma primeira fase, Israel sairia das cidades deBeit Hanoun e Beit Lahia, no norte de Gaza. Ao mesmo tempo, as forças israelenses entraram hoje em BeitHanoun, desencadeando um tiroteio no qual um palestino morreu esete outros ficaram feridos. Os palestinos disseram que o homem morto era comandante localda milícia Brigada dos Mártires de Al Aqsa e que havia sido, defato, o alvo dos soldados. O Exército israelense não comentou oassunto. A renovação de contatos entre Israel e palestinos ocorredepois de uma semana sangrenta durante a qual 64 pessoasmorreram de ambos os lados. A violência motivou uma intensificação da mediaçãointernacional para se tentar resgatar o novo plano de paz,lançado pelo presidente George W. Bush. Dois mediadores, assistentes do chefe de inteligência doEgito, Omar Suleiman, chegaram hoje à Cidade de Gaza para sereunir com extremistas palestinos, principalmente comrepresentantes do grupo Hamas. O primeiro-ministro palestino,Mahmoud Abbas, planeja se unir às conversações nasegunda-feira. Fontes próximas às conversações disseram que os líderesextremistas estão dispostos a considerar uma trégua total - enão apenas dentro de Israel, o que já haviam proposto - caso oEstado judeu detenha as execuções seletivas, as incursões eoutros ataques militares.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.