Egito vai dialogar 'imediatamente' com oposição, diz vice de Mubarak

Governo sinaliza mudanças constitucionais; EUA pedem 'ação' ao governo egípcio.

BBC Brasil, BBC

31 de janeiro de 2011 | 19h15

O governo do Egito vai começar a dialogar "imediatamente" com os movimentos oposicionistas, disse nesta segunda-feira o recém-apontado vice-presidente do país, Omar Suleimam.

"O presidente, Hosni Mubarak, me incumbiu de abrir imediatamente o diálogo com as forças políticas para começar a discutir todos os temas referentes a reformas legislativas e constitucionais", disse Suleiman em pronunciamento à TV estatal egípcia.

Suleiman, que até semana passada ocupava o posto de chefe de Inteligência egípcio, é um antigo aliado de Mubarak. Ele não especificou quais seriam estas forças políticas com quem irá dialogar.

Uma das exigências da oposição é o fim das restrições sobre quem pode se candidatar nas eleições do país. Um pleito presidencial está marcado para setembro deste ano.

No pronunciamento à TV, Suleiman disse também que devem ocorrer novas eleições em alguns distritos onde há evidências de irregularidades nas eleições parlamentares do ano passado.

O novo vice-presidente do país revelou ainda que o governo tomará medidas para restaurar a confiança interna e externa na economia egípcia, incluindo os prejuízos ocorridos pelos protestos e combater o desemprego, a pobreza e a corrupção.

Estados Unidos

Nesta segunda-feira, o presidente Mubarak anunciou a troca de alguns nomes do alto escalão do governo, medida que correspondentes dizem que tinha o objetivo de apaziguar a oposição.

Mas as medidas foram criticadas pelo porta-voz da Casa Branca, Robert Gibbs, que disse que o momento "não é de nomeações, mas de ações".

"Obviamente há mais trabalho a ser feito (...) a forma como o Egito funciona e sua imagem no mundo precisam mudar", disse Gibbs.

Os Estados Unidos já se manifestaram a favor de uma transição democrática no Egito, incluindo negociações com diferentes setores da sociedade e eleições livres.

Nesta segunda-feira, o governo americano anunciou que Frank Wisner será o enviado especial de Washington para o Cairo, mas não foi anunciado com quais lideranças egípcias o americano irá se encontrar.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.