Egito vai julgar Morsi por vazar segredos para o Catar

A promotoria do Egito informou que o ex-presidente do país, Mohammed Morsi, será julgado por vazar segredos de segurança nacional para o Catar, durante o período de um ano no qual ficou no poder.

Estadão Conteúdo

06 de setembro de 2014 | 14h17

Em comunicado divulgado nesta sábado, a promotoria disse que Morsi e dois de seus assistentes vazaram documentos secretos, dentre eles informações sobre destacamentos militares, para a inteligência do Catar.

Os supostos vazamentos teriam acontecido quando começaram as manifestações contra o governo de Morsi, que culminaram com enormes protestos que exigiam sua renúncia.

A promotoria disse também que outras oito pessoas, dentre elas um executivo da rede de televisão Al-Jazeera, que é sediada no Catar, cooperaram para a entrega dos segredos, em troca de um pagamento de US$ 1 milhão.

A promotoria chamou o caso de "o maior caso de traição e espionagem na história do país". Morsi, detido desde sua deposição, já enfrenta três julgamentos, incluindo um por supostamente de cooperado com grupos militantes internacionais. Por esses crimes, ele pode ser condenado à morte. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
EgitoMorsijulgamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.