Egito vai libertar blogueiro detido por militares

A Justiça do Egito determinou a libertação de Alaa Abd El-Fattah, um proeminente blogueiro detido por quase dois meses pelo governo militar do Egito sob a acusação de instigar as sangrentas batalhas de outubro entre os cristãos e o exército egípcio. Ahmed Seif, pai do blogueiro, afirmou à Associated Press que seu filho seria mantido sob custódia até que o trâmite burocrático fosse concluído. Ele disse que seu filho foi proibido de viajar para o exterior.

AE, Agência Estado

25 de dezembro de 2011 | 12h39

Abdel-Fattah foi preso em 30 de outubro, após recusar-se a ser interrogado pelo tribunal militar sobre sua participação nos tumultos no Cairo ocorridos naquele mês, nos quais 27 pessoas morreram e dezenas ficaram feridas.

O blogueiro foi uma das lideranças da revolta de 18 dias que tirou Hosni Mubarak do poder em fevereiro. A sua detenção provocou condenação internacional e deu aos ativistas contrários à ditadura militar novas evidências de que os generais que assumiram após a queda de Mubarak estavam seguindo as mesmas políticas autoritárias adotadas pelo líder deposto.

Abdel-Fattah, de 30 anos, pertence a um grupo de ativistas que usou a sua prisão para chamar a atenção internacional para a situação de milhares de civis convocados pelos generais para serem julgados perante os tribunais militares. Pelo menos 12.000 egípcios foram levados a julgamento em tribunais militares desde o final de janeiro.

Os militares acusam Abdel-Fattah de incitar manifestantes cristãos a atacarem soldados durante os conflitos de 9 de outubro, que se tornaram os mais violentos desde a queda de Mubarak. Abdel-Fattah tornou-se o primeiro blogueiro ativista do Egito, ao lançar um blog há alguns anos para organizar a oposição a Mubarak. Ele tem sido um crítico contumaz dos generais que assumiram o poder de Mubarak. Ele é casado com Manal Hassan, que também é uma ativista e deu à luz ao primeiro filho do casal quando o marido estava preso.

Tudo o que sabemos sobre:
Egitolibertaçãoblogueiro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.