Ehime Maru: culpa é atribuída a tripulante

Um mês após o trágico choque entre o submarino nuclear americano USS Greeneville e um pesqueiro japonês Ehime Maru, na costa do Havaí, os advogados dos oficiais do submarino tentam transferir a culpa pelo acidente a um tripulante que não informou as autoridades sobre a presença da embarcação japonesa na área. Um informe da Marinha dos EUA admite que o choque entre o USS e o pesqueiro foi provocado pela tripulação do submarino. Além da distração provacada pelos civis a bordo, o capitão americano Scott Waddle "foi displicente", diz o infome. O acidente aconteceu no dia 9 de fevereiro e nove dos tripulantes do barco japonês, que levava adolescentes para um curso sobre pesca comercial, morreram. De acordo com o depoimento do contra-almirante Charles Griffiths, o comandante Scott Waddle apressou a manobra de volta à superfície por causa dos 16 convidados civis que estavam a bordo. Griffiths também afirmou que uma peça importante do sonar, usada para detectar embarcações na superfície, estava quebrada.Ontem, após depoimento, Waddle pediu deculpas aos familiares das vítimas. ?Não posso pedir que me perdoem. Essa carga levarei para o túmulo?, disse ele emocionado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.