REUTERS
REUTERS

EI assume autoria de ataque armado contra posto policial perto de Moscou

Em vídeo divulgado por site de propaganda que é ligado aos jihadistas, dois supostos agressores juram lealdade ao líder do grupo jihadista, Abu Bakr al-Baghdadi, e convocam outros muçulmanos a realizar ataques

O Estado de S. Paulo

19 Agosto 2016 | 11h17

MOSCOU - O grupo jihadista Estado Islâmico (EI) reivindicou o ataque cometido na última quarta-feira por dois homens armados contra um posto da polícia de trânsito nos arredores de Moscou, no qual os dois agentes ficaram feridos.

Em um vídeo divulgado nesta sexta-feira, 19, por um site de propaganda que é ligado aos jihadistas, aparecem os dois supostos agressores, identificados como Uthman Mardalov e Salim Israilov, justificando o atentado antes de realizá-lo.

"Somos mujahedins (combatentes) do EI, fizemos o juramento de lealdade ao xeque Abu Bakr al-Baghdadi (líder do EI). Escolhemos o caminho da 'jihad' (guerra santa) com base nas ordens de nosso emir", diz um deles no vídeo. O jihadista também afirma nas imagens que Baghdadi lhes ordenou a "vingar as vítimas" dos bombardeios no Iraque e na Síria.

"Vários irmãos pensam em vingança, por nossos irmãos e irmãs, juro por Alá que não vamos abandoná-los", diz o extremista na gravação, na qual também convoca os muçulmanos a realizar ataques porque este é "o melhor caminho".

Os dois jovens, que morreram após serem alvejados durante o ataque, se aproximaram do posto de controle policial e um deles feriu um agente com um machado. Os oficiais que estavam no local abriram fogo contra os agressores, mas, nesse momento, o segundo extremista sacou uma pistola e feriu outro agente. / EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.