EI convoca muçulmanos franceses em novo vídeo

Jihadistas franceses aparecem queimando passaportes e fazendo ameaças e incentivando ataques na França

O Estado de S. Paulo

20 de novembro de 2014 | 11h43

PARIS - Três supostos combatentes franceses do Estado Islâmico (EI) pedem aos compatriotas muçulmanos para se unirem ao grupo jihadista em novo vídeo divulgado na internet, no qual falam em francês.

No vídeo de sete minutos com tons épicos e propagandísticos realizado pela produtora do EI, Al-Hayat, jihadistas franceses aparecem em volta de uma fogueira queimando seus passaportes e renunciando à nacionalidade.

Em seguida, três deles se dirigem diretamente ao espectador, rodeados por uma dezena de mascarados, fazem ameaças diretas à França e incentivam os muçulmanos a praticarem ataques em solo francês.

"O que esperam? Por que ainda não emigrou? Pode chegar um dia em que as fronteiras estarão fechadas e então só restarão as lágrimas e o lamento. O caminho até aqui é fácil", diz um dos combatentes, identificado pelo pseudônimo de Abu Osama al Faranci.

Um segundo jihadista, com o pseudônimo de Abu Maryam al Faranci, ameaça os franceses. "O mero fato de ir ao mercado será para o terror". Ele se queixa da dificuldade das muçulmanas usarem o "niqab" (véu integral) na França.

O terceiro, Abu Salman al Faranci, convoca os muçulmanos a "não deixar (os franceses) dormir" e a utilizarem "as armas e os carros, ou inclusive veneno para atacar os infiéis".

A França se encontra ainda impactada pela presença de dois de seus cidadãos, Maxime Hauchard e Mickael Dos Santos, no vídeo em que combatentes do EI decapitam o refém americano Peter Kassig e 18 soldados sírios.

As autoridades calculam que há mais de 1.100 franceses vinculados com redes jihadistas, dos quais ao redor de 380 se encontram atualmente na Síria e no Iraque. /EFE

Tudo o que sabemos sobre:
Estado IslâmicoFrançajihadistas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.